domingo, 24 de outubro de 2010

yap, gostei

"Tenho uma coisa na cabeça. Um acontecimento que eu devia ter evitado mas não fiz. Voltei sempre a cair, e acho que o irei fazer sempre. Não posso apenas culpar-te, seria bom, culpar-te de todos os meus erros, mas não, porque eu tenho que saber dizer não, tal como tu me ensinas-te uma vez, mas cometes-te um erro: a ti não me ensinas-te a dizer não. Mas também, parece que contigo nada funciona. Como se tu fosses a aranha e eu a mosca que cai, ficando presa na teia. E eu que nem gosto de aranhas. Mas gosto de ti. E tal como te disse, gosto mais do que devia. Não é a primeira vez que te digo, mas talvez seja esta a primeira vez que realmente o ouves. Mas de que serve fazê-lo ? Dizer-te tudo isso e muito mais se não muda nada ? Volta tudo ao mesmo. Se continuas a ignorar até a minha amizade e a chamar-me apenas quando o teu corpo necessita de outro para ter prazer ? Se das a entender que apenas te lembras de mim de uma forma sexual ? Lamento desiludir-te, mas valho muito mais que isso. Mas tu não vês ! Ou não queres ver.. Mas se assim o é, diz-me ! Precisava tanto de respostas para tudo isto, das tuas palavras de animo onde um 'Anima-te macaca :D' mudava até as cores do mundo num unico dia. Tu realmente não sabes o quanto significas para mim, eu aproximei-me tanto de ti, vê bem o que me fizes-te !
Acho que até dava a vida por ti, e nem o volto a dizer pois não sou como tanto outros que falam e o fazer ? Nem um terço. Mas sim. A cada dia que vai passando acredito mais que o faria. Não valorizas nem ligas ao que eu te digo, ignoras consideras talvez até insignificante, ou achas que não mereço, mas não seria mais facil dizer-mo ?Não me deixes mais a viver nesta agonia, destroi-me a fantasia ! Compreendo até que possas ter medo que te magoe, ou goze contigo, ou que como amiga eu te magoe, mas não te posso provar nada, são apenas palavras e embora o queira, não o faças. Não confies, não acredites, nem em mim, nem em ninguém. Assim também não me desiludo. E dizer que te odeio ? Oh, posso até fazê-lo muitas vezes, senti-lo é que esta mudio longe de ser possivel. Mas até la evito olhar-te e tocar-te, tento tirar da minha cabeça que talvez conseguisse amar-te, pois não posso, e o que aconteceu ? Esqueço ou tento, e confundo-me outra vez. Pois, é isso que ambos somos, uma confusão. Resta-me mentalizar-me todos os dias de que não és meu e que eu e tu funcionamos sobre base de sexo. No feelings. E dificil sabes ? Bem resta-me também guardar tudo ca dentro novamente, especialmente aquele abraço que para mim foi tudo, agradeço-te, e aguentar mais uns meses com a tua ignorancia e desprezo até que voltes a relembrar-te ou a sentir necessidade de mim, outra vez. Ou não. Estou là sempre, mais sabes tu. Até hà proxima. Ah, e até là ? Cuida-te, achei-te muito magrinho desde a ultima vez."


Não fui eu que escrevi o texto. Ou secalhar fui ;)


Sem comentários:

Enviar um comentário